A centenária Fazenda Agua Branca, localizada às margens das Rodovias Marechal Rondon (SP-300) e Senador Teotônio Vilela, em Birigui – SP foi das pioneiras no Brasil na irrigação de cafezais e na plantação do rami (fibra natural). Fiel à sua história, desempenha uma vez mais seu papel de precursora, desta vez no campo da genética bovina.
 
Em suas pastagens e instalações desenvolve-se hoje o trabalho de seleção genética do Projeto Nelore do Golias, baseado em cruzamentos homozigóticos visando resgatar a linhagem do genearca Golias POI.


Também na Fazenda Agua Branca, a partir do DNA do reprodutor Futuro POI do Golias, realiza-se, pela primeira vez no mundo, o importante trabalho científico do sequenciamento do genoma do Zebu (bos indicus).

A Fazenda conserva inalteradas, mantendo o clima hospitaleiro e saudosista, as edificações da época áurea do café. A sede, a tulha, o escritório, as oficinas, a serraria e as casas de empregados são testemunhas vivas de uma era tão significativa na história do Brasil rural.

Ao lado da história, a geografia rica de uma regiào plana e riquíssima em água  (córregos, lagoas, açudes e minas) e uma ecologia surpreendentemente bem preservada, com matas nativas, matas ciliares e bosque de nogueiras, tudo isso habitado por uma fauna onde ainda se podem ver macacos (bugio e prego), cachorros do mato, lebres, tucanos, gaviões , embora a Fazenda seja ao lado de dois grandes centros urbanos, Araçatuba e Birigui, fazem com que uma visita  à Fazenda seja agradável e proveitosa.
 
Projetos de importante interesse para o meio-ambiente são desenvolvidos em colaboração com os centros acadêmicos como no caso da preservação do macaco-bugio.
 
Formada na década de 1910, a Fazenda Agua Branca, hoje produtora de genética bovina, carne bovina a partir dos métodos econômicos mais avançados para a produção de novilhos gordos em regime de pastagens, cana de açúcar e grãos, é facilmente acessível, no km 5 da Rodovia Sen. Teotônio Vilela, a 3 Km do perímetro urbano de Araçatuba/SP.